Tudojuntoemisturado

O filme mais votado pelos internautas ganhará um câmera de ação Full HD. A votação foi encerrada no dia 11 de setembro.

Fukushima Hoax

Quando o metrô de tóquio explodiu, não sobrou um só japonês.

Direção
Wladymir Lima

Wladymir Lima é jornalista e realizador audiovisual. Dirigiu os curtas O Vulto (2013, Ficção) e Borboletas Delicadas (2012, Experimental), ambos selecionados em edições do Visões Periféricas, além dos documentários No Rumo do Uçá (2012), Sabiá (2012) e Nas terra que o sapo berra. É um dos artistas selecionados pelo programa Rumos Itaú Cultural 2015-2016, com o projeto de documentário Furna dos Negros, sobre um quilombo em Alagoas, cuja trajetória remete ao mítico Quilombo dos Palmares.

Duração em minutos: 
2
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2015

Igual

Para alguns, os dias são longos. E voltar pra casa parece sempre igual.

Direção
Agnaldo Marcondes
Agnaldo Marcondes, diretor do filme Igual

Roteirista formado pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro do Rio de Janeiro, onde nasceu. Trabalhou como Editor de Imagens para o Itaú Cultural, ao mesmo tempo que colaborava em produções audio-visuais para companhias de dança contemporânea e teatro. Viveu por mais de dez anos na França (Paris), onde trabalhou como videomaker para Arte, France 2 e para o departamento de comunicação da Mairie de Paris. Atualmente, trabalha como videomaker freelancer em São Paulo.

Duração em minutos: 
5
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2015

Mais Amor, Por Favor - Alun Ocineasta 2015

"Mais Amor Por Favor" discute o bullying na infância misturando ficção e documentário. A sinceridade do apelo e o comprometimento da equipe do curta, que conta com a participante mais nova em todo o projeto ALUNO CINEASTA 2015, fizeram com que este vídeo fosse escolhido como DESTAQUE na oficina realizada na Fundação BADESC em Florianópolis-SC.

Direção
Beatriz Schambeck
Isabella Charlotte H
Beatriz Schambeck e Isabella Charlotte H

Beatriz Schambeck

  • Tem 21 anos. Nascida e criada em Florianópolis, atualmente estudando o curso de Arquitetura e Urbanismo na UNISUL.
  • Em 2015, participou de um curso de 30h de duração sobre cinema. O curso "Aluno Cineasta" despertou paixões e gerou o curta "Mais Amor Por Favor", retratando o bullying de uma maneira leve porém relevante.

Isabella Charlotte Hoffmann

  • Tem 11 anos, nascida em Cambridge, UK, está atualmente cursando o sexto ano da escola Waldorf Anabá em Florianópolis.
  • Apaixonada por cinema, já em 2014 produziu o vídeo "isso não é legal", que aborda o tema do preconceito, que está disponivel no youtube.
Duração em minutos: 
6
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2015

Efêmero

-1_Unidade universalmente caótica de medidas sacanas. Pode ser traiçoeiro não saber que fim leva ao começo. 2_Do primeiro dente a nascer aos primeiros fios de cabelos brancos, estava lá. Não sabia se era unidade de medida ou uma linguagem milenar inventada. 3_Em todo canto que estava, os ponteiros lhe seguiam. Para todo fim, os meios lhe traziam de volta ao começo. Era o choro do nascimento, era partir sem avisar. #‎EFÊMERO.

Direção
Alex Assis
Alana Ribeiro
Lorena Santiago
Alex Assis

Sou um jovem até então de duas décadas de idade. Negro de uma comunidade popular de Salvador. Apresentado diretamente ao universo audiovisual a partir de uma magnífica horta escola; Escola de Arte e Tecnologia Oi Kabum Salvador. Lá pude ingressar de uma forma efêmera (nome inclusive dado à minha primeira ficção) a atividades e oportunidades de grande responsabilidade profissional na área audiovisual.

Duração em minutos: 
2
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2015

Colombina

Numa cidade olímpica, Colombina tenta vender sua cerveja.

Direção
Beto Waite

Beto Waite é cineasta e diretor de fotografia com experiência em diversos produtos audiovisuais.  Começou estudando fotografia no Instituto de Imagem e Cidadania. Depois, na oficina Cinemaneiro, estudou Linguagem Cinematográfica e Edição. Estudou cinema na faculdade Estácio de Sá e se especializou em direção na Escola de Cinema Darcy Ribeiro, ambas no Rio de Janeiro. Foi diretor de fotografia na produtora Cazota Filmes e Ideias, trabalhando em diversos produtos da empresa, como institucionais, documentários e clipes. Em 2014 abriu a Cinetrupe Produções, onde desenvolve seus projetos pessoais e por onde já dirigiu os curtas - metragens, Dói, Todas as Coisas São Uma Metáfora Sobre a Morte e Colombina.

Duração em minutos: 
3
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2016

Débora Arruda - O Nome Disso é Abuso

"Poesia é arma e escudo. Poesia é defesa e combate. Escrevo poesia porque a vida inteira me quiseram calada. Porque a vida inteira tentaram me silenciar. Porque sempre fui empurrada pra fora dos espaços. Porque não posso ser mais uma que desiste, que fica sem forças pra continuar. Escrevo porque acredito na poesia, acredito na força das mulheres e nos espaços que ocupamos. Poesia é transformação." (Débora Arruda) Dois mil e quinze, ano de muitos retrocessos para os direitos das mulheres, o machismo abusando e descendo de pancada em nosso útero, mas não podíamos acabar sem gritar daqui do alto desse pé de jenipapo: AQUI TEM MULHER! Nossos corações sangram Mas a gente se fortalece.

Direção
Juliana Pacheco
Guilherme Cury

Guilherme Cury

Graduado em Comunicação Social com formação complementar em Antropologia Visual pela UFMG, atua como professor conteudista do programa Saberes Indigenas na Escola (MEC), ministrando formações em cinema onde desenvolve trabalhos de roteiro, filmagem e montagem de documentários etnográficos juntamente com jovens cineastas das etnias Yanomami e Yekuana (RR), Guarani (RJ), Xakriabá (MG) e Pataxó (MG). Em 2012, realizou em Recife (PE) seu primeiro curta-metragem chamado "Beiramar, o rei do açaí" e, em 2015, abriu uma produtora independente, a Jenipapo Audiovisual, onde realiza trabalhos autorais.

Juliana Pacheco

Viciada em livros e bordadeira por vocação Juliana Pacheco acredita que boas histórias conectam pessoas. Atua como roteirista na produtora independente Jenipapo Audiovisual, onde realizou seu primeiro trabalho como diretora no video poesia "O nome disso é abuso". Atualmente está escrevendo o roteiro de seu primeiro curta-metragem.

Duração em minutos: 
3
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2015

Tem Wi-Fi?

Andando pela linda cidade de Triunfo-PE, João está à procura de sinal de internet... que não se sabe ao certo onde encontrar. Mas até aonde ele vai para encontrar o que quer?

Direção
Coletiva

Marlom Meireles é formado em Cinema pela Federal de Pernambuco. Idealizador de projetos como Documentando e Midias Moveis. Diretor do filme Olhos de Botão, aonde rodou em diversos Festivais nacionais e internacionais, chegando a ganhar varios premios. Juliana Guerra, Atriz, produtora de Elenco no Cinema. Trabalhou dentro do Projeto Cinema no Interior na Paraiba e Pernambuco! Seu último trabalho foi na produção de uma série chamada Fim do Mundo de Hilton Lacerda e Lirio Ferreira, que será exibida ainda este ano no Canal Brasil.

Duração em minutos: 
2
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2015

Alegoria

Sair da escuridão ou viver no contraluz. A queda como signo-origem. A incapacidade de criar, a insônia e a ilusão da caverna como obstáculos a serem superados.

Direção
Mike Dutra
Andresa Santos
Mike Dutra, diretor do filme Alegoria

Mike Dutra é músico, estudante de cinema e colaborador do Coletivo Descabelo, onde produz áudio para filmes e experimentos audiovisuais, oficinas, eventos, zines e intervenções urbanas.

Duração em minutos: 
4
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2015

Eu não quero viver em Tóquio

Em 1988 o governo do Estado do Ceará lançou oficialmente o Metrofor, que só veio a funcionar em 15 de junho de 2012, 27 anos depois. Eu não quero viver em Tóquio quer dizer 'não' a esse modelo de cidade-concreto e prédios que engolem a história. Chegaremos a quarta dimensão ou continuaremos nesse progresso sem fim?

Direção
Mike Dutra

Mike Dutra é músico, estudante de cinema e colaborador do Coletivo Descabelo, onde produz áudio para filmes e experimentos audiovisuais, oficinas, eventos, zines e intervenções urbanas.

Duração em minutos: 
5
Gênero:
Classificação indicativa:
Ano de produção: 
2016