Mensagem de aviso

O envio de novas inscrições está encerrado.×

IV Encontro de Educadores Audiovisuais (UFF) e IV Deseducando o Olhar (Visões Periféricas) - 2017

O IV ENCONTRO DE EDUCADORES AUDIOVISUAIS e IV DESEDUCANDO O OLHAR IV tem por objetivo fazer conhecer e promover o intercâmbio entre as práticas educativas e as reflexões teóricas atuantes na interface entre audiovisual, educação e tecnologias. 

O Encontro de Educadores Audiovisuais e IV Deseducando o Olhar acontece nos dias 30/11 e 01/12 com apresentação de trabalhos, exibição de filmes, mesa de debate e um encontro geral. Serão 32 trabalhos de diversos estados,  apresentados na Escola de Cinema Darcy Ribeiro, no Rio de Janeiro.

O evento é gratuito e aberto ao público. *Inscrição para ouvintes no dia do evento.

Galeria de imagens

Programação

30 de Novembro
14h00 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Mesa 1 - Audiovisual e Territorialidade.

Mediador: Maurício Bragança

  • Cinema e territorialidades: cartografias de som, imagem e afeto

    Autor(es): 
    Tatiane Mendes
    Descrição: 

    O trabalho intenciona analisar experiências de cinema para além da sala de projeção, territórios sensíveis que acontecem em espaços coletivos da cidade do Rio de Janeiro. Para isso, realiza um percurso de observação participante, tendo como objetos de análise os Coletivos Projetação e Cine Vila, iniciativas que ocorrem com certa regularidade em praças da cidade fluminense e envolvem projeções ao ar livre, debates e intervenções artísticas.

  • Comunicação, Arte e Cidade: audiovisual como aventura das cidades

    Autor(es): 
    João Maia
    Rodrigo Morelato
    Michelle Ezaquiel
    Descrição: 

    Desde 2004, o grupo de pesquisa Comunicação, Arte e Cidade (CAC-UERJ) aglutina pesquisadores e discentes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Pautado numa visão multidisciplinar, o grupo desenvolve, sistematiza e visibiliza saberes não-compartimentados, produzindo cursos, seminários, eventos multimidáticos, publicações de artigos e livros e diversos produtos audiovisuais.

  • Filmes: o cinema como recurso didático para o ensino da Geografia

    Autor(es): 
    Fabio Tadeu de M. Santana
    Rejane Cristina Rodrigues
    Descrição: 

    O projeto de pesquisa teve como objetivo principal analisar as possibilidades de uso da linguagem áudio visual como um meio para a construção do conhecimento sócio espacial. Se trata da utilização do poder da imagem na transmissão, análise, produção e fixação de conhecimentos diversos. Na origem do projeto está a preocupação com o crescente desinteresse às metodologias da escola formal, as quais relacionamos à reprodução de estratégias tradicionais de ensino num contexto de profundas mudanças culturais e tecnológicas.

  • Práticas Audiovisuais na Ciranda Infantil do Movimentos dos Atingidos por Barragens

    Autor(es): 
    Luana Farias
    Descrição: 

    Durante Cirandas do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) itinerantes, em Mariana (MG) em novembro de 2016, e em Serra Queimada (RJ) em abril de 2017, foram realizadas atividade audiovisual com as crianças atingidas. A proposta era uma experimentação do audiovisual que possibilitasse a apropriação das crianças das ferramentas audiovisuais enquanto dispositivo de criação. Devido ao pouco tempo dessas cirandas a proposta não era de oficina, mas de realização de um exercício que possibilitasse essa experimentação, com o uso do dispositivo câmera pelas crianças, e com ela pudessem investigar as palavras/conceitos do movimento, e como elas mesmo se apropriam de cada palavra, ou seja, que leitura de mundo das crianças atingidas está contida em como apropriam-se da organicidade do movimento. A metodologia escolhida para tal atividade foi a da “vídeo cabine do MAB”, buscando ludicidade, fundamental a infância.

14h00 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Mesa 2 - Audiovisual e comunidades de aprendizagem

Mediadora: Liana Lobo

  • Cinema, Formação Docente e Formação para a Vida: A Experiência dos Cineclubes Universitários

    Autor(es): 
    Alessandra Gomes
    Ana Souza
    Descrição: 

    O Projeto de Extensão Cineclube Cine Rapadura tem criado um espaço alternativo de educação e formação por meio da prática cineclubista. Voltado para estudantes do Centro de Formação de Professores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e para a população mais ampla da cidade de Amargosa/Bahia, o Cine Rapadura realiza, desde 2008, Mostras e outras atividades em torno das produções cinematográficas que tratam de temas cruciais na contemporaneidade: identidade cultural, desigualdade social, violência, diversidade sexual, de gênero e racial. Todos os discentes envolvidos participam de todo o processo de organização e prática cineclubista, configurando-se o cineclube como um importante campo de atuação e formação para docência e para a vida.

  • Vapor no cinema: um olho na tela, outro na panela

    Autor(es): 
    Marta Chamarelli
    Daniele Grazinoli
    Anderson Caldeiras
    Aline Veríssimo Monteiro
    Descrição: 

    Durante o ano de 2015, a escola de Cinema Cinemento (Escola de Educação Infantil da UFRJ) promoveu sessões de cinema na cozinha no horário em que a equipe de funcionários inicia seu trabalho e há pouca movimentação no refeitório. Além dessas sessões, realizavam-se também debates que acabaram por desencadear o projeto de realização de um curta metragem(experimental) sobre o trabalho da equipe e seu encontro com o cinema.

  • O uso da tecnologia como recurso de ensino: Um relato de experiência e formação docente cinema e educação

    Autor(es): 
    Kerlon Gomes Silva
    Gláucia Andreza
    Descrição: 

    Este trabalho relata a experiência de iniciação à docência (PIBID) como licenciando em Cinema e Audiovisual na Universidade Federal Fluminense (UFF). Para o desenvolvimento de uma oficina em Pop Arte e Gif, utilizou-se recursos tecnológicos como o uso de smartphones e aplicativo gratuito. A atividade foi elaborada de acordo com o conteúdo que a professora e orientadora Gláucia Andreza vinha trabalhando em sua turma, a Pop Arte, e o uso midiático se deu com o objetivo de trazer uma abordagem contemporânea e realista, aproximando as características e questionamentos do movimento da década de 50 à realidade dos alunos.

  • Apanhadores de desperdícios e suas visualidades contemporâneas

    Autor(es): 
    Érica Rivas
    Rosa Andrade
    Descrição: 

    Esse trabalho trata do uso de dispositivos móveis em duas turmas de EJA do município do Rio de Janeiro. A partir do projeto intitulado “Apanhadores de desperdícios: olhares com Manoel de Barros”, com o objetivo de olhar as coisas sem importância sob uma outra perspectiva e pensando nas demandas do mundo contemporâneo, do uso cada vez mais frequente do celular e a questão da visibilidade digital, foi proposta uma ação pensando nas imagens corriqueiras que fotografamos cotidianamente.

16h00 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Mesa 3 - Exibição com formação e acessibilidade.

Mediador: Alexandre Guerreiro

  • Cineclubes NPD Niterói: Relato de Experiência

    Autor(es): 
    Ana Beatriz Maia Neves
    Miguel Vasconcellos
    Descrição: 

    Os cineclubes promovidos e/ou apoiados pelo NPD Niterói são espaços democráticos, sem fins lucrativos, que estimulam o público a ver e discutir o cinema e, através dele, refletir sobre a realidade. Pretendem contribuir no acesso da população às mais diferentes cinematografias e suas propostas estéticas e narrativas, além disso, valoriza de forma única a experiência da difusão/exibição ao promover debates ou rodas de conversa após cada sessão. Os objetivos dos cineclubes promovidos e/ou apoiados pelo NPD Niterói são: refletir sobre a linguagem do cinema, possibilitar a experiência fílmica como ferramenta de educação não formal, estimular o desenvolvimento do pensamento crítico e viabilizar ações concretas de intercâmbio entre cineclubistas, realizadores, pesquisadores, críticos e pessoas que se interessam pelo cinema como arte transformadora.

  • Em Tempos de Reprodutividade Técnica uma Proposta Original de Tradução de Imagens do Cinema Através da Video-Audio-Descrição

    Autor(es): 
    Kerlon Gomes Silva
    Maria Luiza Gonzaga
    Elena Goes
    Dagmar Silva
    João Luiz Leocádio
    Descrição: 

    O projeto pretende problematizar as técnicas de áudio-descrição vigentes no mercado e propor uma estética de tradução das imagens que possibilite aos espectadores cegos uma relação emancipada e criadora de sentidos próprios. Trata-se de uma abordagem que pretende promover acessibilidade dos espectadores cegos com o cinema.

  • O que eles têm pra nos dizer?

    Autor(es): 
    Franco de Castro
    Estevão Balado
    Stephanie di Chiara
    Amanda Coelho
    Camila Moreira
    Guilherme Macarini
    Marcos Soares
    Descrição: 

    O Reconsidere viajou por seis países da América do Sul para provocar, aqui no Brasil, o mais urgente dos debates: precisamos repensar a Educação. Afinal, qual educação pode contribuir para uma transformação profunda da nossa sociedade? Realizou, a partir deste projeto, uma web-série intitulada “O que eles têm pra nos dizer?”. 

  • Escola, câmera, ação!: estímulo à produção audiovisual escolar

    Autor(es): 
    Tomil Gonçalves
    Carolina Antonucci
    Descrição: 

    Escola, Câmera, Ação! é o nome de uma série de TV, produzida pela MultiRio, para promover e dar visibilidade à produção audiovisual escolar das escolas públicas do município. Voltada para adolescentes e jovens, a série, com episódios de 13 minutos, mostra o que os estudantes da rede municipal de ensino carioca têm criado no campo do audiovisual. E como os programas são apresentados pelos próprios estudantes da rede, temos a oportunidade de observar o que os jovens pensam sobre essa produção.

16h00 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Mesa 4 - Audiovisual e Direitos Humanos

Mediado João Paulo Gohar

  • Projeto Diário de Classes: Cinema na Educação de Jovens e Adultos

    Autor(es): 
    Daiane Silva
    Maria Caroline da Silva
    Iris de Oliveira
    Igor Souza
    Érika Saldanha
    Descrição: 

    O projeto é uma iniciativa de desenvolvimento da prática de cinema, educação e direitos humanos através da realização de exibições de curtas e longas metragem e de oficinas para estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de Salvador.

  • No Caminho dos Ossos: a escola desenterrando-se

    Autor(es): 
    Rodrigo Torquato
    Heitor Collet
    Descrição: 

    O objetivo deste documentário é mostrar a potência de uma câmera nas mãos e uma experiência de opressão marcada nos corpos dos estudantes que, em muitas das vezes, por não terem ainda aprendido na escola a ler e escrever, não podem grafar suas experiências e, mais que isso, apresentar suas inteligências. Neste sentido, ao se colocar como instrumento alternativo ao lápis e a caneta, instrumento este que historicamente os estigmatiza como analfabetos e incapazes de revelar suas experiências cotidianas de classe, a câmera se torna um instrumento mediador para a ruptura com os processos que os mantiveram silenciados. Assim, com este artigo-imagem, nosso objetivo é mostrar não somente potências e inteligências, mas, sobretudo, a difícil realidade dos que vivem das sobras do capitalismo.

  • Inventar Na Ilha: experimentando o cinema em socioeducativos

    Autor(es): 
    Beatriz Praça
    Luciana Arraes
    Ingá Lima Patriota
    Douglas Resende
    Eduardo Lacerda
    Descrição: 

    Este projeto propõe a realização de oficinas de audiovisual em escolas de Centros Socioeducativos da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, com o objetivo de partilhar com professores e estudantes experiências criativo-pedagógicas que possam potencializar as relações entre eles. As atividades se dão a partir de uma metodologia mais aberta, horizontal e emancipatória (de modo a não reproduzir os mesmos paradigmas excludentes que levaram os jovens àquela condição), como no dispositivo “Molduras” – “filmar através de molduras: uma porta, uma janela, um buraco” –, em que nos interessa sobretudo evidenciar as relações entre “campo” e “fora de campo”, fundamentais para se pensar e praticar registros sonoros e imagéticos, que tocam a tensão entre o “dentro” e o “fora”, presenças tão marcantes nos espaços de reclusão que são os Centros Socioeducativos.

  • Devir-favela na construção de uma cartografia das produções audiovisuais de favelas cariocas

    Autor(es): 
    Fabiana Melo Sousa
    Descrição: 

    A ideia desta cartografia é dar visibilidade às imagens dos que moram e valorizar estes olhares que fogem dos estereótipos que criminalizam as classes populares como violentas e estigmatizam estes territórios como lugares sem cultura, história e protagonismo. O desejo é que a comunidade escolar reconheça a escola como parte deste território e também se reconheçam como autores desta publicação, para que assim possamos encontrar outras imagens sobre as favelas que se conectem com o devir-favela.

18h30 Caixa Cultural - Cinema 1

Mesa de abertura do IV Encontro de Educadores Audiovisuais e IV Encontro Deseducando o Olhar

Audiovisual, campo emergente na educação: novas telas, novas formas de produção, distribuição e fruição

Palestrantes: João Alegria, Eliany Salvatierra

João Alegria é Doutor em Educação Brasileira pela PUC-Rio. Já atuou como autor e diretor de TV realizando projetos para as principais emissoras do país. Atualmente trabalha em televisão educativa na Fundação Roberto Marinho, do Rio de Janeiro, como Diretor do Canal Futura e atua como Professor junto ao Departamento de Artes e Design da PUC-Rio, no Curso de Design, na habilitação em Mídias Digitais. Tem atuado como consultor de conteúdo, curador e propositor de projetos no campo da arte e da cultura. Atuando principalmente nas interações entre Educação, Comunicação e Tecnologias Contemporâneas, também desenvolve projetos como especialista em Mídia Educação e novas práticas educacionais com uso de tecnologias contemporâneas.

Eliany Salvatierra é professora do Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense, pesquisadora do Aesthesis, vice-coordenadora do curso de Cinema Licenciatura e coordenadora do projeto PIBID Cinema UFF.

Mediador: Marcio Blanco

1 de Dezembro
10h00 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Mesa 5 - Arte-Educação Audiovisual

Mediadora: Eliany Salvatierra

  • Do Pré Fotográfico a Fotografia: Investigando a Formação da Imagem

    Autor(es): 
    Fernando Rodrigues
    Maria Cristina Miranda da Silva
    Descrição: 

    O projeto é dedicado aos docentes da educação básica, estudantes de licenciatura, artistas visuais e estudantes do ensino médio e fundamental do CAp-UFRJ. Acontece em alguns desdobramentos, como no curso de extensão, nas oficinas experimentais (aberto para um público geral) e nas turmas de Artes Visuais do CAp-UFRJ (1° e 2° ano do ensino médio). Desenvolve-se a partir de experimentações de procedimentos fotográficos históricos, artesanais, analógicos e digitais na construção de poéticas artísticas e formadoras do olhar em relação com o ensino da arte.

  • "Liberdade, mas nem tanto": Relatos de Uma Experiência

    Autor(es): 
    Fabrício Borges
    Descrição: 

    Este trabalho apresenta um estudo de caso de aprendizagem em arte por meio da realização de um documentário colaborativo, realizado em uma oficina de linguagem audiovisual na cidade de Manaus.

  • Videoinstalação “Você é idiota?” dos estudantes do Colégio Pedro II

    Autor(es): 
    Greice Cohn
    Descrição: 

    Você é idiota? é uma videoinstalação com quatro projeções, realizada em 2017, por um grupo de alunos da 1ª série do E.M. do Colégio Pedro II, no âmbito da disciplina Artes Visuais, cujo programa é a arte contemporânea. Os trabalhos expostos no final do curso partiram da provocação: "o que você gostaria de dizer para o mundo hoje?", após os alunos terem entrado em contato com diversas obras. Você é idiota? foi apresentada numa sala fechada e escura, na qual duas paredes opostas abrigavam as projeções, envolvendo os espectadores e provocando reações polêmicas na comunidade escolar. A fim de possibilitar essa submissão e visualização, enviamos uma montagem que une as quatro projeções numa única imagem. Nessa compilação, os vídeos são apresentados repetidamente (como eram na instalação), mas, nos instantes finais, foram adicionadas imagens que mostram o espaço instalativo sendo visitado pelo público escolar, para dar conta das especificidades desse tipo de obra.

    Link externo: 
  • Videodança: o sonho do cinema pulsante

    Autor(es): 
    Michel Schetter
    Descrição: 

    Este trabalho é parte da pesquisa de mestrado do autor, sobre cinema e ritmo. Por um ano e meio a disciplina eletiva intitulada “Videodança” foi aplicada no curso de graduação em Comunicação Social da UFRJ. Nesta disciplina, investiga-se a criação coreográfica nos processos de criação audiovisual.

10h00 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Mesa 6 - Periferia audiovisual

Mediador: Marcio Blanco

  • Introdução à Videografia do Oprimido: Desdobramentos da relação entre Vídeo Popular, Educação e Cultura

    Autor(es): 
    Daniel Fagundes Souza
    Descrição: 

    Introdução a Videografia do Oprimido é resultado de 5 anos de pesquisa e de 12 anos de vivência em produção e disseminação de Vídeo Popular nas periferias da cidade de São Paulo junto do coletivo NCA - Núcleo de Comunicação Alternativa. Foi sistematizado como trabalho de conclusão de curso em Pedagogia por Daniel Fagundes no ano de 2013 e tem como foco as intersecções entre a educação, a cultura e a construção da imagem dos oprimidos. Enfatizando as potências e os desafios das oficinas em audiovisual que pipocaram em todo o país à partir dos anos 2000.  

  • Produção audiovisual de favela: histórias de resistência contra a violência estética da produção audiovisual

    Autor(es): 
    Franciele Campos
    Sônia Cristina Vermelho
    Descrição: 

    Este ensaio conduz a reflexões sobre as experiências de formação junto com um grupo de jovens (meninas e meninos do ensino médio de escolas públicas) moradores de favelas do Rio de Janeiro, que há mais de um ano, formam parte de um espaço de produção de audiovisual oferecido no marco de um projeto de pesquisa-ação da UFRJ. O “curso de vídeo”, como eles/elas o chamam, acontece semanalmente e desenvolve iniciativas na perspectiva da mídia-educação.

  • Processo de realização das produções audiovisuais da TV Morrinho

    Autor(es): 
    Chico Serra
    Cilan Oliveira
    Raniere Dias
    Fabio Gavião
    Coletivo Morrinho
    Descrição: 

    A apresentação sobre a TV Morrinho no Deseducando o Olhar pretendeu destrinchar alguns aspectos do processo "educativo" da TV Morrinho, bem como o processo de realização de alguns trabalhos audiovisuais do qual Chico Serra foi produtor e incentivador e, por vezes, assumiu também a função de editor e diretor, sempre em parceria com os artistas do Morrinho.

    Link externo: 
  • A Experiência do Projeto Janela Periférica

    Autor(es): 
    Priscila Pacheco dos Santos
    Descrição: 

    Janela Periférica é um projeto de cinema, educação e educomunicação com crianças e adolescentes da periferia de Curitiba. O objetivo é mostrar um olhar diferente sobre a periferia, que num determinado segmento da comunicação é explorada a partir de um viés negativo, influenciando na visão do aluno sobre o seu espaço. A idéia surgiu de uma lacuna existente nos veículos de comunicação, nos quais os produtos audiovisuais são produzidos por pessoas que não vivem nesses espaços. Para isso os alunos participam como produtores de conteúdo.

13h30 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Mesa 7 - Comunidades virtuais, Comunidades de aprendizagem

Mediador: João Luiz Leocádio

  • Como "ensinar" Cinema e Educação na Graduação de Pedagogia na modalidade a distância?

    Autor(es): 
    Fernanda Cavalcanti de Mello
    Descrição: 

    Na disciplina Imagem Educação do curso de Pedagogia EaD, da qual Fernanda Cavalcanti de Mello é professora tutora, foi disponibilizado, por meio da plataforma e de outros ambientes, virtuais e presenciais, possibilidades de práticas com a linguagem do audiovisual. A proposta desse trabalho é mostrar algumas situações de aprendizagem baseadas nos conceitos de interatividade e hipertexto, na sala de aula virtual e fora dela, em trânsito pela cibercultura.

  • A Formação de Docentes na Cibercultura e a Produção de Vídeos Para a Educação Online

    Autor(es): 
    Vivian Martins
    Edméa Santos
    Descrição: 

    Essa pesquisa de mestrado teve como proposta a formação de docentes para a produção de vídeos na educação online. A Oficina de Produção de Cibervídeos foi acionada com o objetivo de compreender como os vídeos vêm se materializando e circulando no ciberespaço e na educação online, desenvolvendo práticas de produção de gêneros de cibervídeos.

  • Mundo de Papel: resistência e criação em uma vivência de cinema com estudantes do Ensino Médio em Manaus

    Autor(es): 
    Ceane Andrade Simões
    Descrição: 

    Neste trabalho, originado da necessidade visibilizar as possibilidades de resistência e de criação de jovens estudantes, apresentamos o relato de uma experiência de cinema desenvolvida em uma escola estadual de Manaus, no âmbito de um projeto institucional de Extensão da Universidade do Estado do Amazonas, realizado com apoio financeiro da CAPES, por meio do Programa Novos Talentos. Na oficina Vivência de Cinema Novos Talentos foi realizado coletivamente o filme de ficção “Mundo de Papel”

  • Nossa História pelo mundo: filme-carta de uma escola pública federal do Rio de Janeiro

    Autor(es): 
    Maria Elizabeth Batista Moura Diniz
    Descrição: 

    O presente trabalho é um projeto que tem como objetivo produzir pequenos filmes inspirados no vídeo-carta “As Crianças Ikpeng para o mundo” produzido pelos povos indígenas. O público-alvo é uma turma do 5º ano do ensino fundamental de uma instituição de educação básica pública federal do Rio de Janeiro. Com a utilização de dispositivos móveis como tablets e celulares, os/as estudantes produziram pequenos filmes sobre a rotina deles. A turma foi dividida em 5 grupos com a seguinte temática: Recreio; Lazer no final de semana; Estudando; Afazeres domésticos e Alimentação. Cada criança de cada grupo filmou com a câmera do celular/tablet um momento vivido de acordo com a temática do seu grupo. O "Cadernos do Inventar" foi utilizado como referência após ter sido adquirido na III Formação de Educadores em Cinema da UFF.

13h30 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Mesa 8 - Experiências Mão na Massa

Mediador: Alexandre Palma

  • Pega Visão: relatos de uma experiência em audiovisual comunitário

    Autor(es): 
    Rodrigo Morelato
    Patrícia Lima
    Álvaro Vinícius dos Santos
    Descrição: 

    O trabalho propõe partilhar e explanar as experiências, contradições e investigações do Pega Visão, entrecruzando teóricos acerca do que pode vir a ser, na contemporaneidade, o “audiovisual educativo e comunitário“. Passando a entender o audiovisual comunitário enquanto uma modalidade da “sociabilidade“, forma lúdica da socialização.

  • O Orçamento como Estética: Oficinas de Produção Audiovisual com Celulares em Sergipe

    Autor(es): 
    Marcus Vinícius de Jesus Mota
    Descrição: 

    A Oficina de Produção Audiovisual com Celulares nasce com o objetivo de propiciar conhecimento técnico para que jovens pudessem criar novas narrativas sobre suas vidas. Começando pelo interior do Estado, as oficinas duravam uma semana e passavam por todas as etapas do processo de produção audiovisual: linguagem, roteiro, produção, som, fotografia e edição. O público-alvo sempre foram adolescentes à partir dos 15 anos estudantes da rede pública. Era preciso dar vazão a esses microfilmes, então no ano de 2011 Marcus criou o tr3s.minutos - festival sergipano de micrometragens, primeiro do gênero no estado. Foram duas edições com mais de 200 vídeos inscritos de todo o Brasil. Além das mostras haviam oficinas para qualificar cada vez mais os jovens cineastas. Em fevereiro deste ano, as oficinas de produção audiovisual com celulares comemoram sete anos contribuindo com a democratização do cinema no estado de Sergipe.

  • Cinema como prática na pedagogia brincante da creche

    Autor(es): 
    Liana Lobo
    Descrição: 

    Este trabalho se concentra no estudo da relação estabelecida individualmente por cada criança da turma de 2 a 3 anos da Creche UFF em atividades brincantes de exploração do ambiente e dos próprios dispositivos tecnológicos: a câmera filmadora Handcam e um tripé leve.

    Link externo: 
  • O mundo, apesar de redondo, tem muitas esquinas

    Autor(es): 
    Antonio Pinheiro
    Descrição: 

    Animações:

    Na aula de artes visuais do ensino médio do IESK, o professor Antonio Pinheiro trabalha animação stop-motion e o debate dos direitos humanos. 

16h00 Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Encontro final