Júri

Bernardo Oliveira

Professor adjunto da Faculdade de Educação da UFRJ, pesquisador, crítico de música e cinema, produtor. Possui graduação em Filosofia pelo IFCS/UFRJ, mestrado e doutorado em Filosofia pela PUC-RIO. Realizou doutorado-sanduíche em Brown University e pós-doutorado no IFCS. Tem experiência na área de filosofia, com ênfase em ética, filosofia política e filosofia da diferença. É co-produtor do selo musical QTV e do Quintavant, evento de música de vanguarda que há cinco anos ocorre semanalmente na Audio Rebel (Botafogo-RJ). Publicou em dezembro de 2014 o livro ”Tom Zé Estudando o Samba" (Editora Cobogó).

Daniela Broitman

Cineasta e jornalista, com mestrado da Universidade da Califórnia - Berkeley, Daniela Broitman foi repórter nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, onde fez parte da equipe que ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo pelo Caderno Zap!. 

Estudou cinema na New York University, e trabalhou como editora nas empresas de internet Streetspace e LookSmart, em São Francisco, entre 2000 e 2002.

De volta ao Brasil, obteve uma bolsa da Fundação Ford para completar seu 1º documentário de longa-metragem, “A Voz da Ponta - A Favela Vai ao Fórum Social Mundial”. Em 2008, lançou seu 2o longa, “Meu Brasil”. 

Produziu programas de TV para o Frontline World (PBS-EUA) e trabalhou em outras produções internacionais, como o premiado documentário canadense “Rip: A Remix Manifesto” e a série “Witness” (episódio Rio) da HBO. 

Vencedora da prestigiosa fellowship da Fundação Guggenheim de NY, a cineasta dirigiu, roteirizou e produziu o documentário “Marcelo Yuka no Caminho das Setas”, que foi exibido em mais de 25 festivais no Brasil e no exterior, e rendeu à sua produtora Videoforum Filmes o Prêmio de Incentivo à Qualidade do Cinema Brasileiro (Ancine).  

Em 2014, Daniela foi curadora da Mostra PoliSonoridades no Centro Cultural Correios, e diretora de produção da MOPA- Mostra Polo Audiovisual RS, no CCBB-RJ.

Atualmente está produzindo dois documentários de longa-metragem, é representante da Associação Brasileira de Documentaristas (ABD-RJ) e diretora da Associação Brasileira de Cineastas (ABRACI).

Luiz Claudio Motta Lima

Professor e Geógrafo com Mestrado Pela UERJ. É um dos organizadores e fundadores do cineclube Subúrbio em Transe, que desde 2007, exibe e produz filmes. Também é professor de Geografia das redes municipais de Educação de Duque de Caxias e Rio de Janeiro, onde realiza oficinas de linguagem audiovisual no Núcleo de Arte Grécia, desde o ano de 2003. Foi um dos realizadores do documentário Alma Suburbana de 2007. Além de outras produções, dirigiu o curta No limite do Horizonte, premiado na mostra Cinema da Gema do Festival Visões Periféricas no ano de 2012.

Paulo Silva

Amazonense, 47 anos, roteirista e diretor de curtas e longas, fez vários cursos de audiovisual de ações sociais, como Cufa, Nós do cinema e Cinemaneiro. Sempre se destacando com curtas-metragens desde de 2003, fundador da Companhia Brasileira de Cinema Barato, ao lado de Marcelo Yuka e Leandro Firmino da Hora e Julio Pecly, fez parte também da Boca de Filmes, produtora de curtas sediada na Cidade de Deus, criador do Cinecarceragem, cineclube que exibe filmes e curtas-metragens dentro de delegacias. No ano de 2007, seu filme de curta-metragem Sete Minutos, venceu o festival do Rio, sendo eleito o melhor curta pelos críticos. Em 2009 a CCBB produziu seu primeiro longa-metragem, “Vida de Balconista”, em parceria com a Cavídeo Produções. Em 2011 seu primeiro longa-metragem, o Documentário “Enchente” teve sua primeira exibição na Mostra Aurora da 14ª edição do Festival de cinema de Tiradentes – MG.

Apoios, patrocínios, parcerias, promoção e realização.

Galeria de imagens

Bernardo Oliveira
Daniela Broitman
Luiz Claudio Motta Lima
Paulo Silva